Tattoo já foi atração de circo

Compartilhe
circo

mulheres tatuadas eram as estrelas mais bem pagas do espetáculo

Corpos tatuados já não são nenhuma novidade, e são até comuns. Mas houve um tempo em que tatuagem era atração de circo, dada a raridade de ter desenhos impressos na pele e quem era tatuado era visto com curiosidade e medo. Daí virarem atração de circo, pelo inusitado.

A primeira pessoa tatuada a ser exibida num circo foi “o príncipe Giolo” em 1691. Dizem que era originário de uma ilha de escravos nas Filipinas e teria sido levado a Inglaterra com esse fim, uma aberração a ser exibida.  Depois dele o próximo registro é do francês Jean Baptiste Cabri, um ator de teatro que ganhava a vida contando histórias sobre suas tatuagens e que teria ficado famoso em toda a Europa.

O primeiro inglês tatuado foi Jhon Rutherford em 1828, que exibiu suas tattoos maoris assim que retornou da Nova Zelândia. Rutherford também ficou famoso e ganhou a vida narrando suas fantásticas aventuras que o levaram até uma tribo de nativos onde teria sido tatuado como agradecimento.

Nos Estados Unidos o primeiro tatuado foi James F. O´Connel exibido em 1842 no Museu Americano de Barnum e que teria publicado um livro, “A vida e aventuras de James F. O´Connel, o homem tatuado”. Mas, já nessa época existiam mulheres tatuadas apresentadas como atração em circos e a excitação em torno de suas figuras era tanta que se tornaram as estrelas mais bem pagas dos espetáculos.

circo

anúncios antigos de circo

Finalmente chegamos ao século XX e com ele a popularização das tatuagens. Se as tattoos ainda não são vistas como normais, pelo menos não são mais aberrações, e curioso mesmo é saber que se viajava longas distâncias e em condições precárias para capturar “raridades” com a pele tatuada para exibi-las.

Compartilhe