Companhia aérea proíbe tattoos para funcionários

Compartilhe

moko

A companhia aérea Air New Zealand, ou apenas Air NZ, proibiu seus funcionários de fazerem tattoos e justificou a proibição argumentando que pode causar mal-estar em passageiros asiáticos. A decisão formal ocorreu após a polêmica causada pela atitude da companhia aérea em se negar a contratar uma funcionária com uma moko (tattoo Maori tradicional) no antebraço esquerdo. Segundo a companhia, se a tattoo estiver numa área do corpo que fique coberta pelo uniforme não há problema.

moko

Claire Nathan

Eu pensei que seria um orgulho para a companhia ter um funcionário com uma moko trabalhando e representando a Nova Zelândia. Mas, foi justamente o oposto“, disse Claire Nathan ao Maori Assuntos Native (programa sobre a cultura Maori na NZ) sobre sua rejeição ao quadro de funcionários da Air NZ. Ela foi informada que tattoos que não pudessem ser cobertas pelo uniforme da companhia eram “inaceitáveis”.

De acordo com o gerente de desenvolvimento da companhia, Andrew Baker, independentemente do significado cultural, funcionários com tattoos visíveis causariam constrangimento aos passageiros asiáticos. Baker declarou que a questão está completamente resolvida e superada e observou que outras companhias aéreas nessa mesma região têm políticas semelhantes à Air NZ, incluindo a Virgin Australia, Qantas, Hawaiian Airlines e Jetstar.

 

Compartilhe