Aproveitar o inverno para tatuar?

Compartilhe
inverno

tattoos de Angelina Jolie, nas costas

Assim como fazer dieta e voltar a fazer exercícios só são lembrados quando chega o verão, fazer tattoo só se torna prioridade quando os corpos ficam mais em evidência e a vontade de ornamentá-los também. Mas, com tattoo — assim como a dieta e o exercício físico — o aconselhável é que se comece/faça antes. Com a chegada do inverno, fomos conversar com os estúdios de tatuagem sobre a procura de clientes durante a estação e quais as vantagens de fazer tattoo agora.

Tanto o Rinzo quanto o Jairon são taxativos: tatuar no inverno é melhor. Porque o procedimento de cicatrização exige deixar a região da pele tatuada longe dos raios solares. E Jairon ainda acrescenta: “sem contar que o cliente não vai cair em tentações como entrar numa piscina“. Mas ele salienta que é preciso “evitar abafar a tatuagem com um monte de roupas e agasalhos, pois pode dificultar na cicatrização“.

No caso de tattoos maiores, que exigem várias sessões para completar o trabalho, Rinzo explica que o tempo sem expor a região da pele tatuada ao sol aumenta e é preciso ainda mais cuidados. Já o Jairon alerta que depois de feita a tattoo é preciso “evitar roupas em excesso, evitar roupas apertadas também pro tecido não ficar roçando a tatuagem e recomendo a meus clientes para evitar banhos muito quentes e demorados, pois podem fazer com que a casquinha solte antes do tempo ideal“.

Por fim, Jairon afirma: “o ideal seria fazer uma tatuagem no inverno para aproveitar o calor já com ela cicatrizada“.

Bora fazer uma tattoo nesse inverno seguindo as dicas do Rinzo e do Jairon?

Compartilhe