Pessoas tatuadas podem doar sangue?

Compartilhe

sangue

Podem. Mas é vetada a doação nos primeiros doze meses após a feitura da tatuagem. Não é preconceito. É uma precaução para evitar o risco de contaminação do sangue doado por doenças como aids e hepatite, que podem ser transmitidas pela agulha do tatuador caso as condições de assepsia não sejam respeitadas. Doze meses é o tempo considerado seguro para que a pessoa desenvolva os anticorpos que são detectados no teste de HIV, realizado após cada doação.

Se você pretende fazer tatuagem ou mais uma e estiver dentro desse período de um ano sem ter feito tattoo, doe sangue antes. No Brasil, são feitas cerca de 3 milhões de doações por ano, e o número é considerado insuficiente.

Neste momento, o estado da Flórida nos EUA estuda reduzir o tempo de espera de um tatuado para doar sangue de doze para quatro meses. Galen Unold, diretor do LifeSouth (banco de sangue) diz que “com o crescente aumento da popularidade das tattoos, mais e mais pessoas ficam impedidas de doar e que principal objetivo é manter o suprimento de sangue seguro”, disse Unold em um comunicado à imprensa, e que “estes novos regulamentos estaduais devem tornar o processo mais seguro e também permitir que mais pessoas a doar sangue”.

Em São Paulo, a hematologista Aline Monteiro, da Fundação Pró-Sangue (centro de coleta de sangue ligado à Secretaria Estadual de Saúde), diz que “a quantidade (de sangue doado) é insuficiente, deixando a vida de milhares de pessoas em risco.”

Confira as DICAS do Inca (Instituto Nacional de Câncer) sobre doação de sangue e preste atenção: O intervalo mínimo entre uma doação e outra para homens é de dois meses e para as mulheres é de três meses, sendo que dos 60 até os 65 anos, seis meses.

Não podem doar sangue as pessoas:

  1. que tiveram hepatite depois dos 10 anos de idade. Antes dessa idade, a doença não é empecilho porque provavelmente se trata de hepatite A, cujo vírus é eliminado por completo do organismo;
  2. que tiveram hepatite B ou C, os portadores do vírus da AIDS ou de alguma doença infecciosa transmitida pelo sangue;
  3. com diabetes que usam insulina ou anti-hipoglicemiantes por via oral; mulheres grávidas ou que estão amamentando;
  4. com febre, peso abaixo de 50kg, com mais de 65 anos ou que tiveram perda inexplicada de 10% do peso em um mês;
  5. com epilepsia ou crises de asma;
  6. que tenham se submetido a grandes cirurgias, recebido transfusão, feito tatuagem ou colocado piercing há menos de um ano.

Tire outras dúvidas sobre tatuagem na nossa página de perguntas frequentes.

Compartilhe