Doação de pele: tatuados também podem!

Compartilhe

Acidentes de grandes proporções com queimaduras graves como a tragédia da Boate Kiss em Santa Maria-RS evidenciam uma fragilidade (mais uma) do sistema público de doação de órgãos (que mal consegue manter abastecidos os bancos de sangue): doação de pele humana. Há pouco ou nenhuma informação sobre quem pode doar pele e que condições.

pele humana doada

Lesões mais graves na pele, como as causadas por queimaduras de terceiro grau, podem ser tratadas com enxertos de pele. A pele pode ser doada tanto durante a vida quanto após a morte. Enxertos de pele usam uma camada tão fininha que não impedem que a doação seja feita em vida. Basta e pessoa ter entre 15 e 60 anos e pesar mais de 50 quilos.

No caso de doador morto, a pele doada é retirada das costas e das pernas para não comprometer a aparência do cadáver durante os ritos fúnebres. E a pessoa deve ter sofrido morte encefálica ou parada cardiorrespiratória (como em qualquer outra doação de órgãos — afinal, a pele é um órgão) e deve deixar seu desejo de doação registrado. Em pessoas vivas a camada retirada é de apenas 1,5 milímetro de espessura e costuma ser retirada da barriga, costas e coxa. Se o doador for homem, a perna também pode ser usada.

O grande barato da doação de pele é que pessoas tatuadas, com maquiagem definitiva e/ou com piercing também podem doar, desde que tenham sido feitos há mais de doze meses. Obviamente que não estamos falando que tatuados doarão exatamente a pele da parte do corpo tatuada, estamos falando dos supostos “riscos” de saúde, assim como na doação de sangue.

pele humana tatuada

Bancos de Tecidos no Brasil

Porto AlegreSanta Casa de Misericórdia (apenas doadores falecidos)
Contato – (51) 3213 7172

RecifeInstituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira
Contato – (81) 2122.4100

São PauloHospital das Clínicas
Contato – (11) 2661-0000

Compartilhe