Tattoo versus religiões – Budismo

Compartilhe

Estamos realizando uma série sobre tattoos e religiões, para saber se há de fato proibições e quais doutrinas proíbem seus fiéis de tatuar o corpo. No primeiro post, falamos da reprovação das tatuagens pelos evangélicos (você pode ler clicando aqui). No segundo post da série pesquisamos sobre as regras estabelecidas pelo judaísmo (você pode ler clicando aqui). Hoje fomos pesquisar como o budismo vê a arte de tatuar o corpo.

Tatuagens são comuns entre budistas. Alguns monges budistas expressam seus votos religiosos e devoção através de tatuagens.

tattoo

monge budista tatuado

tattoo

monge budista com os dois braços tatuados

tattoo

monges budistas – apenas o primeiro (sentado) não tem tatuagens aparentes

Entre os budistas a cultura da tatuagem é tão forte que já existem até algumas imagens religiosas com tatuagens. Como essa do Fudô Myoo (ou Acala), deidade do budismo, um dos Cinco Reis da Sabedoria do Reino do Ventre.

Fudô Myoo (ou Acala, o destruidor da ilusão e o protetor do budismo), deidade do budismo, o mais conhecido dos Cinco Reis da Sabedoria do Reino do Ventre

Fudô Myoo (ou Acala, o destruidor da ilusão e o protetor do budismo), deidade do budismo, o mais conhecido dos Cinco Reis da Sabedoria do Reino do Ventre

Entre os não-budistas, orientais e ocidentais, um dos símbolos da religião é muito usado em tatuagens: a flor de lótus. O significado mais importante da flor de lótus para os budistas é a pureza, do corpo e alma. A água lodosa que acolhe a planta é associada ao apego e aos desejos carnais, e a flor imaculada que desabrocha sobre a água em busca de luz é a promessa de pureza e elevação espiritual. É associada à figura de Buda e aos seus ensinamentos e, por isso, são flores sagradas para os povos do oriente. Diz a lenda que quando o menino Buda deu os primeiros passos, em todos os lugares que pisou, flores de lótus desabrocharam.

tatuagem com flor de lótus

flor de lótus tatuada

tatuagem de flor de lótus

flor de lótus tatuada

Compartilhe