Tatuagens em Menores de Idade

Se seu filho tem menos de 18 anos e está com vontade de fazer tatuagem, não há motivo para preocupação. É comum os jovens desta idade quererem se impor, e o que melhor para provar para si e para os outros do que marcar o corpo com uma marca que o acompanhará para o resto da vida? É natural que ele não queira chegar à maioridade, que a lei define como 18 anos, para fazer sua tatuagem.

Claro que fazer uma tatuagem, em qualquer fase da vida, é uma decisão totalmente pessoal. No entanto, nessa idade é importante conversar, afinal é preciso conscientizá-lo de que se trata de um procedimento definitivo.

Risco à saúde não há. Isso só correrá caso a tatuagem seja feita em local inadequado, sem as condições de higiene exigidas pela Vigilância Sanitária. Para encontrar um local apropriado e, mais que isso, que garanta um bom resultado, o melhor ainda é o esquema de indicação, o bom e velho boca-a-boca.

Muitos pais e/ou responsáveis se preocupam ainda com a questão do preconceito em algumas áreas de trabalho, pensando na possibilidade de que o filho seja rejeitado de antemão em alguma entrevista ou algo do tipo. No entanto, cada vez mais as pessoas têm evoluído nesse sentido e se dado conta de que modificações feitas no corpo, como piercings e tatuagens, não comprovam inaptidão, tampouco afetam a competência do candidato.

Toda escolha envolve riscos, isso na vida em geral. Mas se a escolha for bem pensada, não haverá arrependimento. E ainda que haja, por um motivo ou outro, não será arrependimento maior que o daquele que pensa “e se eu tivesse feito?”.  Portanto, uma conversa sobre a importância da escolha é o suficiente.

No Estado de São Paulo

De acordo com a lei estadual 9.828/97 de São Paulo, menores de idade não podem fazer tatuagens, mesmo com autorização dos pais.